Leite Materno

Nossa ideia é também a troca de experiências entre mamães, e muitas estarão por aqui contando suas descobertas, acertos e erros. Claro que nossos erros serão sempre involuntários,  afinal de contas tudo que queremos é sempre o melhor para nossos "bebezinhos" e esse é um dos motivos do Marmita Baby existir.
Ádila Suarez e seu filhinho Bruce cortam a fita e inauguram nossa primeira postagem!

O Bruce tem 3 meses e é o primeiro filhinho da Ádila, que como toda mamãe de primeira viagem, tem mil 250 dúvidas, mas ela está indo super bem. Sua alimentação sempre foi saudável desde antes da gravidez e continua assim até hoje: carnes magras, saladas, arroz integral, frutas...
Durante a gestação ela evitou e reduziu algumas coisas, como por exemplo, passou a tomar uma xícara somente de café ao invés das  3, 4 diárias de antes.

Todo esse cuidado é importante pois vai refletir diretamente no leite e no desenvolvimento do paladar do bebê.




O leite materno deve ser oferecido desde a primeira hora pós-parto e até os 6 meses de idade ele irá suprir todas as necessidades do seu filhinho. Mata a fome, a sede e ainda dá todos os nutrientes que ele precisa nessa fase.
Não é que depois dos 6 meses o leite fique fraco e por isso seja necessária a introdução dos alimentos sólidos. Nada disso! O que muda são as necessidades nutricionais da criança - elas aumentam, e é por isso que a alimentação complementar deve ser iniciada. Mas o mama continua, não deve parar não, pois ele continua sendo importante para o bebê.

Flora, nossa nutricionista materno infantil, sabe tudo sobre aleitamento materno, foi o tema de sua disertação de mestrado e  vivenciou prática total por 7 anos na Maternidade Escola/UFRJ.
 - Compostos voláteis (que sugerem sabores e aromas dos alimentos) são passados da alimentação da mãe para o leite, assim como a qualidade de nutrientes, desta forma o paladar do bebê começa a ser formado já nesta fase.

Cafés, refrigerantes, frutas cítricas, amendoim são alguns dos alimentos que podem causar cólicas nos bebês se consumidos pela mãe durante a amamentação. Provavelmente você vai logo perceber quando algo não cair bem! Foi exatamente o que aconteceu com Ádila, apesar de comer alimentos saudáveis, em seu aniversário teve bolo de chocolate, caixa de bonbons...
Ela não saiu devorando tudo, mas uma fatiazinha do bolo e um chocolatinho ela não resistiu em provar... Logo veio a reação, Bruce teve cólicas e a noite de aniversário foi longa a noite.

A cólica infantil pode aparecer do primeiro ao quarto mês de vida e é um sintoma adaptativo da imaturidade intestinal. Esses alimentos citados acima podem causar ou intensificar as cólicas.




Alguns estudos sugerem que o bebê, no momento do choro de cólica, seja acalentado pelo pai ou por outro adulto, isso poderá tranquilizá-lo. No colo da mãe o bebê irá sentir o cheiro do leite, ficará impaciente querendo mamar e não irá se acalmar. O stress causado pela dor do filhinho e pelo choro pode gerar também insegurança e medo na mãe, e tudo isso pode ser prejudicial na produção e fluxo do leite.


Informações: Flora Vieira / Nutricionista Materno Infantil
Marmita Baby no Facebook - http://fb.com/projetomarmitababy